Wilfred Hildonen

nasceu em 1953 no norte da Noruega, o mais norte que se consegue alcançar em todo o território europeu. Apesar de vir da Noruega, não tem qualquer ascendente norueguês que se registe desde o século XVII.

Podemos no entanto encontrar Finlandeses, Carelianos, Sami ou Laponeses (o povo indigena da Escandinávia e da Rússia) e alguns ciganos nas suas raizes.

IMG 7199

Hoje, é cidadão da Finlândia mas vive permanente em Portugal, em Viseu, desde 1999, com uma interrupção em que morou no Brasil e Noruega (entre 2006 e 2012, altura em que regressou a Portugal). 


Considera-se um autodidata, apesar dos três anos de frequência em escolas de artes na Suécia e norte da Noruega de 1982 até 1985.

Trabalha como cartoonista editorial para o jornal sueco-finlandês Hufvudstadsbladet desde 1992, ilustrando uma coluna editorial sete dias por semana e uma carta dos leitores, escolhida pelo editor durante cinco dias. Ocasionalmente ilustra artigos. Juntando todos os desenhos, faz mais de 500 por ano. Todo este trabalho é possivel, recorrendo às maravilhas da internet.

 

Além disso também pinta. Ao contrário dos cartoons e ilustrações, pinta quadros abstratos - «Na pintura nós trabalhamos em duas dimensões, e por tanto, a arte realista, não é bem realista, mas trata-se de ilusões óticas, basicamente através das linhas perspetivas» diz. «Se nos queremos aproximar à realidade, temos que diferenciar entre que é uma ilusão e o que é a realidade. A realidade num quadro é de facto, só cores, linhas e formas. Portanto, se uma obra de arte quer ser realista, tem que ser abstrata! 

Encontramos isso também na música e a arte abstrata é um parente de música! Em vez dos sons, teremos cores.

A arte abstrata quer aproximar-se a realidade espiritual. Por isso, uma obra abstrata pode ser considerada um mantra para a consciência moderna».

(Vanessa Mendes)


O meu currículo!

© Wilfred Hildonen